Pra que serve uma holding e tudo que você precisa saber sobre elas

Responda agora: quais são os principais ativos de uma holding?

Se você respondeu: máquinas, marcas ou equipamentos, está errado!

Ao contrário de uma empresa tradicional, que produz bens ou presta serviços, uma holding tem como principal atribuição administrar ou controlar empresas. 

Em outras palavras:

Holding é uma empresa que possui como ativos a participação acionária majoritária em uma ou mais empresas.

Ela participa de outras sociedades, como sócia ou acionista, ao invés de exercer uma atividade produtiva ou comercial.  

Esse é o primeiro post da nossa série sobre holding.

Prepare-se para aprofundar seus conhecimentos sobre esse conceito, compreender as principais diferenças com outros modelos de sociedade e entender se o holding é um bom negócio.

O que é holding e para que serve?

Trata-se de uma empresa que possui a maioria das ações de outras empresas e que detém o controle de sua administração e das políticas empresariais.

A doutrina estabelece a definição de holding como:

Sociedades não operacionais que têm seu patrimônio composto de ações de outras companhias. 

Holding: significado do termo

A terminologia usada vem do verbo inglês “to hold” que na tradução livre significa segurar, controlar, manter.

Na definição de holding: é uma sociedade que visa participar de outras sociedades, através da detenção de cotas ou ações em seu capital social, de uma forma que possa controlá-las, sendo este o domínio de uma sociedade sobre a outra. 

Ao exercer o controle, a holding está no comando de uma empresa.

E com essa participação acaba por controlar a outra sociedade pelo volume de cotas ou ações detidas. 

Para que serve uma holding?

Uma holding, em si, é administrativa. 

Você não vai ver uma holding produzindo alguma coisa. 

Por exemplo: a holding dona do MeuSucesso.com, WiseUp e responsável por investimentos em startups, que pertence a Flávio Augusto, também fundador do Geração de Valor, não é a uma empresa que realiza eventos ou cria conteúdos. 

A holding é simplesmente uma administradora.

Simples assim, mas nada simplória. 

Antes de detalhar para que serve uma holding é preciso separar a atividade comercial – exercida pela empresa que é controlada -, da atividade administrativa – realizada pela empresa que controla por deter a maioria das ações, ou seja, 51%. 

Muito utilizada por médias e grandes empresas, uma holding, normalmente, tem o objetivo de melhorar a estrutura de capital ou então é usada como parte de uma parceria com outras empresas ou mercado de trabalho. 

O objetivo é a administração – ou controle – de um grupo de empresas.

Por ser a empresa possuidora da maioria das ações ou cotas do grupo, a holding controla as tomadas de decisão que determinam a gestão das demais empresas. 

Essa aliança com demais corporações pode ser dada em longo prazo e de modo contínuo. 

Holding empresarial é a mesma coisa?

É classificada como holding qualquer empresa que possua a maioria das ações de outras empresas e que detém o controle de sua administração e políticas empresariais.

Então considera-se uma holding empresarial uma corporação que possui ativos, ou seja, ações de outras empresas, sociedades limitadas, fundos de hedge, títulos, imóveis, marcas registradas, direitos autorais, patentes, entre outros.

Por que existem holdings?

Você pode estar se perguntando:

Por que não colocar uma administração dentro da própria empresa?

Por que usar uma holding ou uma administradora?

Vamos por partes.

Essa forma de sociedade é muito utilizada por médias e grandes empresas com o objetivo de melhorar a estrutura de capital ou de criar e manter parcerias com outras empresas.

As holdings são constituídas para o exercício do poder de controle ou para participação relevante em outras companhias, visando, nesse caso, constituir uma coligação.

Em geral, essas sociedades de participação acionária não praticam operações comerciais, como já foi mencionado antes, apenas realizam a administração do seu patrimônio.

E, quando exerce o controle, a holding tem uma relação de dominação com as suas controladas, que são chamadas de subsidiárias.

Esclarecemos sobre isso adiante.

Do ponto de vista do negócio, as holdings são usadas como estratégia para circulação de capital entre os vários setores do mercado e ramos de atividade, evitando que ele fique concentrado em um setor específico.

Como funciona o holding?

Uma analogia ajuda a entender melhor como funciona o holding.

Uma holding é como se fosse um guarda-chuva.

Imagine que cada pontinha do guarda-chuva é uma empresa que constitui o portfólio de uma holding.

Geralmente um grupo de empresários de setores diferentes se junta em uma sociedade que dá origem a uma holding.

O papel da holding é, nesse sentido, controlar todas essas empresas, administrando-as em consonância com as características de cada uma, mas garantindo que exista uma centralização administrativa.

Quando utilizada de maneira apropriada, essa tática pode gerar muito lucro para o grupo, fazendo com que a empresa legal adquira melhor forma de mercado, com suporte também comercial, uma vez que trabalha em vários segmentos e/ou regiões.

Parece bem simples entender o que é uma holding, não é mesmo?

Saiba que existem tipos que caracterizam cada modalidade dessa sociedade: 

  • Pura 
  • Mista
  • Controle
  • Patrimonial
  • Participação
  • Imobiliária

Clique aqui e conheça todos os tipos de holding existentes no Brasil.

As principais dúvidas sobre holding

Uma holding pode ser Ltda ou S.A.?

Não há nenhum impedimento legal que a sociedade holding seja constituída na forma de Limitada ou de outros tipos societários, como uma S.A.

A definição de holding não remete a um tipo societário determinado, mas à administração e controle da sociedade que possuir a maioria das ações ou cotas de outra.

Uma holding, portanto, pode ser constituída na forma de Sociedade Anônima ou Limitada, desde que respeitados os requisitos legais impostos a cada uma delas.

Para quem está com dúvidas, uma definição rápida sobre os formatos:

  • Sociedade Limitada: existe quando duas ou mais pessoas se juntam para explorar uma empresa, formando uma sociedade através de um contrato social. 
  • Sociedade Anônima: é uma sociedade de capitais, onde o que importa é a aglutinação de capitais e não a figura dos acionistas. Regida por um estatuto social, não requer a anuência dos demais sócios quando ocorre a entrada de estranhos no quadro social. 

Quem são as subsidiárias em uma holding?

As demais empresas que compõem a sociedade formadora da holding são chamadas de subsidiárias.

A holding possui uma quantidade de ações que valida uma grande autonomia para intervir decisivamente na política e administração geral das empresas. 

Por isso esse modelo de sociedade empresarial tem por objetivo a melhor estruturação de capital das corporações envolvidas.

Holding e joint venture são a mesma coisa?

Não.

Joint venture é uma associação de empresas, definitiva ou não, que explora determinado negócio sem que nenhuma delas perca a sua personalidade jurídica.

Nada mais é que a união de duas ou mais empresas por um objetivo econômico em comum.

Qual a diferença entre holding e cartel?

Cartéis são grupos secretos de empresas que pertencem ao mesmo ramo e estabelecem acordos entre si para fixar preços iguais aos seus produtos. 

Ou seja, significa padronização dos preços de produtos iguais em empresas semelhantes, o que acaba com a concorrência, deixando o consumidor no prejuízo.

E, normalmente, a empresa que se recusa a participar desse tipo de ação é sabotada. 

E caso você não saiba, cartel é algo totalmente ilegal.

Holding x truste: o que muda? 

Os trustes são grupos formados por proprietários de grandes empresas que se fundem, e já detinham o controle da maior parte do mercado, tornando-se sócios de uma única grande empresa. 

Com isso, um truste obtém o controle de grande parte do mercado consumidor.

Essa prática, além de diminuir a concorrência, dificulta a pesquisa de preços pelo consumidor.

As vantagens de ter uma holding

  • Manter majoritariamente ações de outras empresas
  • Ter o poder de controle
  • Profissionalizar a gestão
  • Ter grande mobilidade
  • Não necessitar operar comercialmente
  • Não dever operar industrialmente
  • Manter minoritariamente ações de outras empresas com a finalidade de investimento
  • Assegurar a unidade e o controle, bem como a organização de um grupo internacional de empresas
  • Criar uma alavanca financeira para promover e melhorar a transferência de empresas
  • Equilibrar as políticas de crescimento interno ou externo
  • Benefícios fiscais
  • Facilidade de formação
  • Agrupamento de Capital
  • Economia de operações de grande escala
  • Riscos evitados

Os riscos de ter uma holding

  • Excesso de capitalização
  • Fraude
  • Desvio de poder
  • Exploração de subsidiárias
  • Manipulação
  • Concentração do poder econômico
  • Monopólio secreto
  • Gerência
  • Acionistas minoritários
  • Problemas de liquidez
  • Ativos ou linhas de negócios não rentáveis

Exemplos de holding

Imagina uma empresa que fabrica um produto A, mas gostaria de comercializar também o produto B, porém não possui experiência na fabricação do produto B.

Então essa empresa busca uma parceria com a fabricante do produto B e assim formam uma sociedade para comercializar os dois produtos. 

Para formalizar esse acordo é criada uma nova empresa.

Essa nova empresa seria a holding!

Assim, a fabricante do produto A detém a maior parte do capital dessa nova sociedade e passa a administrar seus interesses.

Um exemplo dessa dinâmica na vida real: o Grupo Silvio Santos, que detém cerca de 40 empresas, entre elas Banco Panamericano, Hotel Jequitimar e o SBT.

Entre vantagens e riscos, especialistas, investidores e analistas de mercado destacam que investir em ações de empresas e setores diferentes é uma estratégia para o sucesso, por isso o holding é considerado um bom investimento.

Interessado em saber mais sobre como o holding pode ser um bom negócio para a sua empresa?

Então envie seus dados pelo formulário agora para agendar uma conversa com nossos especialistas.

Qual sua avaliação sobre esse conteúdo?